Postagens

Mostrando postagens de Março, 2009

Morre Sydney, filho de Charles Chaplin, aos 82 anos

Imagem
A morte ocorreu no dia 03 de março deste ano. Sydney Chaplin era o filho mais velho de Charles Chaplin com sua segunda esposa, Lita Grey. Assim como o pai, ingressou na carreira artística, tendo recebido o prêmio Tony por sua atuação em "Bells are Ringing", na Broadway.

Segundo filho de Charles Chaplin e sua segunda esposa, Lita Grey, Sydney Chaplin nasceu em Beverly Hills em 1926 e afirmou em entrevistas não ter conhecido muito seu pai quando criança. Depois de servir na 2ª Guerra Mundial, Sydney começou a atuar, co-fundando o Circle Theater em Los Angeles e participando de inúmeras peças e filmes. Ele conquistou um prêmio Tony pelo musical "Bells are Ringing", nos anos 1950, e participou do último filme dirigido por seu pai, "A Countess from Hong Kong", de 1967.

Filmografia:
Limelight (1952) ... Neville  Land of the Pharaohs (1955) ... Treneh  Confession (1955) ... Mike  Abdullah the Great (1955) ... Ahmed  Pillars of the Sky (1956) ... Timothy  Fours Gi…

Chaplin por Truffaut

Imagem
"Charlie Chaplin é o cineasta mais célebre do mundo, mas sua obra quase se tornou a mais misteriosa do cinema. À medida que expiravam os direitos de exploração comercial de seus filmes, Chaplin proibia a distribuição, escaldado, convém esclarecer, por inumeráveis reedições piratas, e isso desde o início de sua carreira. As novas gerações de espectadores que chegavam só conheciam O garoto, O circo, Luzes da cidade, O grande ditador, Monsieur Verdoux, Luzes da ribalta de ouvir falar.
(...)
Durante os anos que precederam a invenção do cinema falado, pessoas no mundo inteiro, principalmente escritores e intelectuais, zombavam e desdenhavam do cinema, no qual viam apenasa uma exceção, Charlie Chaplin - e compreendo que isso parecesse odioso a todos aqueles que tinham visto com atenção os filmes de Griffith, Stroheim e Keaton. Foi a polêmica em torno do tema: o cinema é uma arte? Mas esse debate entre dois grupos de intelectuais não dizia respeito ao público, que, por sinal, não se qu…