Crítico americano Jonathan Rosenbaum ministra curso gratuito sobre Chaplin em BH



Não há dúvidas sobre o que Charles Chaplin representa para o cinema. Apesar disso, nunca é demais conhecer a fundo – e em detalhes – as contribuições do baixinho responsável por clássicos como O grande ditador (1940), Tempos modernos (1936), Luzes da cidade (1931), ainda mais com a ajuda de um dos críticos de cinema mais cultuados no mundo, o americano Jonathan Rosenbaum.

Jonathan Rosenbaum

A convite da Fundação Clóvis Salgado, ele estará em Belo Horizonte entre 14 e 16 de agosto para ministrar o curso Chaplin, ontem e hoje, com entrada franca. Responsável por livros como Goodbye cinema, Hello cinephilia: Film culture in transition (2010) e Movie mutations: The changing face of world cinephilia (2003), Rosenbaum é conhecido tanto por suas análises quanto pelo olhar apurado sobre o futuro da crítica. O americano contribuiu com as mais importantes publicações da área, incluindo as revistas Cahiers du Cinéma e Film Comment.
O curso será uma das atividades da mostra retrospectiva dedicada a Chaplin que, a partir de 10 de agosto, ficará em cartaz no Cine Humberto Mauro. Serão exibidos todos os filmes do ator e cineasta britânico, além de uma série de palestras, debates e do lançamento de catálogo com textos inéditos sobre a obra dele.
Interessados em participar do curso ministrado por Rosenbaum devem enviar e-mail com minicurrículo (de até 10 linhas) para curso.rosenbaum@gmail.com. Serão 136 vagas e as inscrições para o processo seletivo estarão abertas de segunda-feira a 2 de agosto. O resultado será divulgado no site do Palácio das Artes em 10 de agosto.

O curso é uma realização da Fundação Clóvis Salgado e será realizado no Cine Humberto Mauro

CHAPLIN, ONTEM E HOJE

Curso com Jonathan Rosenbaum. De 14 a 16 de agosto, das 14h às 16h30. Cine Humberto Mauro. Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro, (31) 3236-7400. Inscrições gratuitas. Enviar e-mail com minicurrículo para curso.rosenbaum@gmail.com, de segunda-feira a 2 de agosto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Era Charles Chaplin ateu?

O caso do roubo do túmulo de Chaplin (1978)

A questão de gênero no filme Tempos Modernos (Chaplin, 1936)