Postagens

Mostrando postagens de 2014

"Um Natal Chapliniano" - Resultado do Concurso Cultural

Imagem
Finalmente chegamos ao final do Concurso Cultural "Um Natal Chapliniano". Durante dois meses recebemos dezenas de textos e vídeos de todo o Brasil, onde os leitores responderam à pergunta:
“O ano de 2014 marca o centenário de Carlitos. Se Charles Chaplin realizasse um filme para comemorar, como você gostaria que ele fosse?”
Sem mais rodeios, eis os grandes vencedores:

Confira o texto vencedor:
Charles ainda estaria preto e branco Um chapéu usaria com as cores do Brasil Sentaria ao lado de Drummond no banco Imitando sua pose, agitando as ruas do Rio
Charles se divertiria nas águas de Ipanema Sentado em cadeira de praia com água de coco Faria das areias uma tela de cinema Seria mais uma façanha desse nosso gênio louco
Chaplin visitaria todos os cantos da cidade Dançaria sem vergonha no alemão Sem vaidade e com vontade... No corcovado se encantaria e choraria de emoção
Charles Chaplin ainda seria um menino... Adocicado pelo humor simularia comer o pão de açúcar E como não rir co…

Charlie Chaplin: uma vida resiliente

Imagem
Chapéu-coco, bigode, colete apertado, calças largas, sapatos grandes e bengala. Um andar desajeitado e uma ternura no olhar. Em qualquer lugar do planeta, hoje, descrever essas características e não se lembrar de Charles Chaplin é quase impossível, mesmo não tendo assistido a nenhum de seus filmes. O personagem chamado de vagabundo, ou The Tramp, em inglês, é emblemático, tornando Charles Chaplin conhecido em todo o mundo. Foi um fenômeno nos primeiros tempos do cinema e revolucionou a forma de se conceber essa arte. Entretanto, antes de chegar aos pícaros da glória, antes dos seus 30 anos de idade, Charles Spencer Chaplin passou por uma difícil e triste infância e adolescência. O filme da sua vida passou longe de ser uma comédia e não fez o pequeno Charlie sorrir, assim como o fazem aqueles que assistem aos seus mais de oitenta filmes em película. (Figura 1) INFÂNCIA E JUVENTUDE
No dia 16 de abril de 1889, na periferia da Londres vitoriana, nascia o filho do senhor Charles Chaplin e H…

Novas visões sobre Chaplin no livro de Carlos Heitor Cony

Imagem
Por Diogo Facini

Carlos Heitor Cony é um conhecido e experiente jornalista e escritor brasileiro. Com mais de 50 anos de atuação, é um dos escritores que fazem parte da Academia Brasileira de Letras (o que não significa lá muita coisa, mas prossigamos). De qualquer forma, Cony, ainda nos anos 1960, publicou um ensaio sobre Charles Chaplin, o que é bem relevante para nossos interesses. O livro tema de nossa resenha, “Chaplin e outros ensaios” (Topbooks), traz um considerável ensaio “novo” escrito pelo autor sobre Chaplin (segundo Cony, na Nota do Autor do livro, ele havia sido publicado em partes durante várias semanas na primeira página do Suplemento Dominical do Jornal do Brasil); além disso, o livro traz, em seu conjunto, inúmeros outros ensaios, que refletem sobre vários temas, principalmente grandes escritores.
Como o próprio nome do livro diz, trata-se de ensaios, um gênero literário que se caracteriza (de forma simples) em geral por uma relativa liberdade na construção e nos tem…

Chaplin para crianças (de todas as idades)

Imagem
Por Diogo Facini
As grandes obras de Chaplin e o seu personagem símbolo, Carlitos, já um senhor centenário, esbanjam vitalidade. Seus filmes mantêm a relevância e continuam sendo lembrados tanto no olhar popular quanto em listas especializadas de melhores filmes. Além disso, enquanto muitos dos grandes nomes do cinema mudo passaram por um processo de esquecimento ou diminuição da relevância, Chaplin e Carlitos seguem firmes, sobrevivendo a uma história muitas vezes cruel com os nomes do passado. Outra forma da “sobrevivência” da obra do cineasta, existente desde os seus primeiros anos de atuação, são as várias adaptações e versões de seu personagem e sua obra: bonecos, brinquedos, cartões, histórias em quadrinhos... Nos últimos anos podemos até acompanhar uma série animada 3D com as aventuras do Vagabundo em um canal de TV a cabo.
De todas essas versões da obra de Chaplin, uma em especial chama a atenção, tanto por sua beleza e qualidade quanto pelo modo como reafirma a relevância de …

Campanha de operadora de celular exibe um Chaplin "moderno"

Imagem
Você já imaginou o principal personagem de Charles Chaplin nos dias atuais? É um exercício interessante o de pensar como o Carlitos se comportaria em pleno século XXI, em meio ao dinamismo das grandes cidades, submetido a tantas tecnologias como iPads, smartphones, etc. 
Pois essa é a proposta de uma nova campanha de uma operadora de telefonia celular, que revive um dos personagens mais conhecidos da história do cinema. Na pequena história, Carlitos se apaixona por uma bailarina de rua, que vê através de um tablet de alguém, no elevador. Ele passa a buscá-la, através do... GPS de um celular! É interessante como os idealizadores do filme (criado pela Ogilvy e produzido pela Rebolucion) preservaram algumas características do Vagabundo (ponto para o ator que interpreta o personagem), além de elementos marcantes na obra chapliniana, como a garota, os fade-in e fade-out, além da cena final, com a famosa caminhada rumo ao horizonte. 

Além do comercial para televisão, a campanha contempl…

"Um Natal Chapliniano": concorra à coleção "Chaplin - A Obra Completa" e ao livro inédito "Luzes da Ribalta"

Imagem
Ho! Ho! Ho!
Aqui, no Blog Chaplin, o clima natalino chegou mais cedo! Para comemorar a época mais divertida do ano, aproveitando o ano do centenário de Chaplin no cinema, faremos Um Natal Chapliniano!
Fizemos uma parceria com a Versátil Home Vídeo e a Companhia das Letras, para premiar os leitores com dois super prêmios: A Coleção "Chaplin - A Obra Completa e o livro "Luzes da Ribalta", lançamento exclusivo da Cia das Letras, no Brasil. A Obra Completa: 20 DVDs repletos de extras. O único e inédito romance escrito por Charles Chaplin poderá ser seu!
Para participar, basta responder à seguinte pergunta:
"O ano de 2014 marca o centenário de Carlitos. Se Charles Chaplin realizasse um filme para comemorar, como você gostaria que ele fosse?"
São duas as formas de responder: produzindo um texto (frase, poesia, etc) ou um vídeo. LEIA o regulamento abaixo ou faça o download clicando aqui.

Regulamento
Sobre o Concurso
1. "Um Natal Chapliniano" é um concurso cul…

No Blog Chaplin, o Natal chega mais cedo

Imagem
Aguardem o dia 25/10/2014


Um Natal Chapliniano

Chega ao Brasil o romance inédito de Charles Chaplin: "Luzes da Ribalta"

Imagem
O único texto de ficção escrito por Charles Chaplin, que deu origem ao roteiro de Luzes da Ribalta, é publicado pela primeira vez depois de sessenta anos. A edição traz mais de cem imagens do arquivo pessoal do gênio do cinema, além de ensaios do biógrafo David Robinson
Em 16 de maio de 1952, a estreia de Luzes da ribalta num apinhado cinema da Leicester Square, em Londres, com a presença de membros da realeza britânica e uma cobertura estrondosa da imprensa, selou a conclusão de um longo projeto criativo de Charles Chaplin. A gênese do seu último filme realizado nos Estados Unidos remontava aos primórdios de sua trajetória no cinema. Em 1916, astro de Hollywood em meteórica ascensão, o jovem Chaplin foi visitado em seu estúdio pelo mítico bailarino russo Vaslav Nijinsky. A profunda impressão causada em Chaplin pela estrela dos Ballets Russes, que pouco depois abandonaria a dança com um diagnóstico de esquizofrenia, está na origem da primeira concepção de um filme centrado na decadênc…

Classicline lança a Coleção Charlie Chaplin em blu-ray

Imagem
Charles Chaplin em alta definição. Isso mesmo! A Classicline lançará em novembro um box com três grandes filmes de Charles Chaplin, em blu-ray. A Coleção Charlie Chaplin conta com os filmes: Em Busca do Ouro (The Gold Rush, 1925), Tempos Modernos (Modern Times, 1936) e O Grande Ditador (The Great Dictator, 1940). Cada disco terá o acompanhamento de um livreto, que incluem a biografia, fotos e particularidades sobre cada filme. As capas vêm todas coloridas, um atrativo a mais, para quem está acostumado com as clássicas imagens em preto e branco.
A edição é limitada e indispensável na estante de qualquer cinéfilo que se preze. O box já se encontra em pré-venda nas principais lojas online.
Sobre os filmes:
Em Busca do Ouro (1925) - Esse é mais um clássico da obra chapliniana. Na história, o pequeno vagabundo se depara com um ambiente incomum aos filmes anteriores, geralmente vivenciados na cidade. Agora, o cenário é compartilhado com imensas montanhas cobertas de neve, onde nas primeira…

Era Charles Chaplin vegetariano?

Imagem
Essa é mais uma das perguntas que nos chegam a todo momento. Em uma rápida busca pela internet, encontram-se várias referências dando a certeza de que Charles Chaplin era vegetariano (ou Vegan). Para a surpresa de muitos, afirmamos que NÃO. Chaplin não aderiu ao vegetarianismo. "I'm Vegetarian" A frase "I'm Vegetarian", atribuída a Chaplin e utilizada amplamente pelas fontes citadas acima, para justificar a tese do vegetarianismo do artista, tem sua origem no filme "O Grande Ditador", na cena em que o Comandante Shultz encontra o Barbeiro, que havia salvo sua vida há um tempo atrás. O Comandante fica surpreso ao vê-lo preso por ser judeu:

No filme, o diálogo em que o personagem diz ser vegetariano refere-se, de forma bem evidente, a intencionalidade de Chaplin em realizar um trocadilho com a palavra "ariano". Portanto, uma única frase, divulgada sem contexto, não tornaria verídica a informação de que o mesmo seria vegetariano, ao contrár…

Os tempos de Chaplin: resenha do livro de Everton Luís Sanches

Imagem
Por Diogo Facini
O professor e pesquisador Everton Luís Sanches é um dos poucos estudiosos de questões relacionadas a Charles Chaplin no Brasil. Sua pesquisa não resumiu ao período de estudante universitário, mas prolongou-se durante os anos de professor, com o início da escrita de obras relacionadas ao célebre criador de Carlitos. A atuação de Sanches se estende também ao Blog Chaplin, do qual ele é um dos colaboradores.
A obra aqui apresentada, “Charles Chaplin: confrontos e intersecções com seu tempo”, é fruto da dissertação de mestrado em História do autor, relacionada com o diálogo entre Chaplin e seus tempos.
O livro é dividido, além de introdução e considerações finais, em quatro capítulos: A Inglaterra e o mundo antes de Chaplin; História de uma personalidade; O cinema de Charles Spencer Chaplin, e O cinema no período entre guerras. Com relação ao último capítulo, são principalmente as obras desse período, entre as duas Guerras Mundiais, as discutidas pelo autor em seu livro. 

Filme retrata o roubo do caixão de Charles Chaplin

Imagem
A história de vida de Charles Chaplin é tão fantástica, que por si só daria um interessante enredo para um filme. Após sua partida, no dia 25 de dezembro de 1977, aconteceu um evento que poderia ter saído da mente de qualquer roteirista de Hollywood: o Sequestro do seu seu corpo! Essa história já contamos aqui no blog (confira o post aqui). O fato é que muitas vezes a vida imita a arte e essa máxima nunca foi tão verdadeira na atualidade. Na última quinta-feira, 28, no 71º Festival de Cinema de Veneza, foi apresentado um longa-metragem que retrata o caso do roubo do túmulo de Chaplin. O filme, cujo título é "La rançon de la gloire" (algo como "o preço da fama"), é dirigido pelo francês Xavier Beauvois (Deuses e Homens), sendo forte candidato ao Leão de Ouro de Veneza. Apesar da história real beirar a tragédia, na versão fílmica ela ganha um humor agridoce. O enredo teve a autorização da família de Charles Chaplin, que inclusive cedeu algumas imagens do rico acervo…

“Branca de Neve” e a atualidade do Cinema Mudo

Imagem
Por Diogo Facini
             Quando se fala de “retorno do cinema mudo”, “recriação” ou volta desse estilo tão singular e que caracterizou o cinema durante pouco mais dos seus 30 anos iniciais, o filme francês “O Artista” (2011) vem à mente (a obra foi abordada neste mesmo blog, através do endereço http://blogchaplin.com/2014/08/04/o-artista-2011-e-a-volta-do-cinema-mudo/).             Esse filme, que surpreendeu a todos e conquistou os públicos de todo o mundo, ganhando inúmeros prêmios de destaque, representou uma bela homenagem a esse período tão importante do cinema, retratando todo seu esplendor e encanto iniciais. No entanto, outro filme, produzido na mesma época que “O Artista” (e com roteiro escrito desde 2005 [1]), mas lançado um pouco depois (2012), também traria o estilo silencioso do cinema à tona. Mesmo que a repercussão tenha sido menor que o seu “parente”, sua abordagem criativa e sua releitura de uma clássica história, conhecida por todos, merecem grande destaque.   …

Morre Richard Attenborough, diretor de "Chaplin"

Imagem
Morreu ontem, dia 24 de agosto, o diretor e ator Richard Attenborough, prestes a comemorar 91 anos de idade.  Richard nasceu em Cambridge, em 29 de agosto de 1923. Começou sua carreira atuando no cinema, no drama de guerra "Nosso Barco, Nossa Alma" (1942). Estreou como diretor no musical "Oh, Que Bela guerra!" (1969), ambientado na I Guerra. Essa produção lhe rendeu um Globo de Ouro de melhor produção estrangeira. Dirigiu e atuou em diversos filmes, incluindo três importantes cinebiografias: Gandhi (1982), que contou a história do famosos pacifista indiano Mahatma Gandhi, obra que lhe garantiu oito Oscars, incluindo o de melhor filme; Em 1987, filmou Um Grito de Liberdade, onde Denzel Washington representou o importante ativista negro Steve Biko, lutando contra a política segregacionista do Apartheid, na África do Sul; Em 1992, homenageou Charles Chaplin no filme "Chaplin", protagonizado por Robert Downey Jr.



Sua última atuação como diretor foi em Um Amo…