Filmes

Keystone Studios


Pela Keystone Studios, Chaplin participou de 34 filmes, em curta-metragem (cerca de 10 a 30 minutos, cada), entre os meses de janeiro a dezembro de 1914: Carlitos Repórter (Make a Living) Corrida de Automóveis para Garotos (Kid Auto Races At Venice), Carlitos no Hotel (Mabel’s Strange Predicament), Dia Chuvoso (Between Showers), Dia de Estréia (A Film Johnnie), Carlitos Dançarino (Tango Tanges), Carlitos entre o bar e o amor (His Favorite Pastime), Carlitos Marquês (Cruel, Cruel Love), Carlitos e a Patroa (The Star Boarder), Carlitos e o Relógio (Twenty Minutes of Love), Bobote em Apuros (Caucht in a Cabaret), Carlitos e a Sonâmbula (Caught in the Rain), Carlitos Ciumento (A Busy Day), A Maleta Fatal (The Fatal Mallet), Dois heróis (The Knockout), Carlitos e as Salsichas (Mabel’s Busy Day), Carlitos e Mabel se casam (Mabel’ Married Life), Carlitos Dentista (Laughing Gas), Carlitos na Contra-regra (The Property Man), Pintor Apaixonado (The Face on the Barroom Floor), Divertimento (Recreation), Carlitos Coquete (The Masquerader), A nova colocação de Carlitos (His New Job), Na Farra (The Rounders), Carlitos Porteiro (The New Janitor), Carlitos Rival do Amor (Those Love Pangs), Dinamite e Pastel (Dough and Dynamite), Carlitos e Mabel assistem às corridas (Gentlemen of Nerve), Carregadores de pianos (His Musical Career), O Engano (Trysting Places), O Casamento de Carlitos (Tillie’s Pictured Romance), Carlitos e Mabel em Passeio (Getting Acquainted) e o Passado Pré-Histórico (His Pre Historic Past). 



Essanay Studios 


Nos estúdios da Essanay, Charlie Chaplin produziu 16 filmes, também em curta-metragem, entre os anos de 1915 e 1918: Seu Novo Emprego (His New Job), Carlitos se diverte (A Night Out), Campeão de Boxe (The Champion), Sua Regeneração (His Regeneration), Carlitos no Parque (In The Park), Carlitos quer casar (A Jitney Elopement), O Vagabundo (The Tramp), Carlitos à Beira-Mar (By The Sea), Carlitos Limpador de Vidraças (Work), A Senhorita Carlitos (A Woman), O Banco (The Bank), Carlitos Marinheiro (Shanghaied), Carlitos no Teatro (A night in the show), Os amores de Carmen (Burlesque on ‘Carmen’), Carlitos Policial (Police) e Carlitos em Apuros (Triple Trouble).


Mutual Film

Na Mutual Film, foram rodadas 12 produções, nos anos de 1916 e 1917. Essa é a fase considerada pelo historiador e biógrafo de Charles Chaplin, David Robinson, como a mais criativa do artista, em relação a sua primeira fase. O primeiro filme lançado foi Carlitos Bombeiro (The Fireman), seguido de O Vagabundo (The Vagabond), Uma Hora da Madrugada (One A. M.), O Conde (The Count), A Casa de Penhores (The Pawshop), Carlitos no Armazém (The Floorwalker), Carlitos no Estúdio (Behind the Screen), Sobre Rodas (The Rink), Rua da Paz (Easy Street), O Balneário (When the Cure), O Imigrante (The immigrant) e O Aventureiro (The Adventurer).



First National

Na First National, Chaplin realiza os seus últimos filmes em curta metragem, entre 1918 e 1923. A essa altura, suas produções experimentam uma visível maturidade estética e narrativa, com roteiros mais elaborados. Um exemplo evidente é Vida de Cachorro (A Dog’s Life), cujo título é uma metáfora sobre a vida difícil de um vagabundo, que é vítima das mazelas sociais da cidade que o rejeita, por sua condição. Nessa fase, foram realizados, além de Vida de Cachorro, outros 8 filmes, sendo eles: Laços de Liberdade (The Bond), Um Idílio Campestre (Sunnyside), Um dia de prazer (A Day’s Pleasure), Os Ociosos (The Idle Class), Dia de Pagamento (Pay Day), Vida de Cachorro (A Dog’s Life), Ombro, Armas! (Shoulder Arms, 1918) e O Pastor de Almas (The Pilgrim). Também realizado pela First National, O Garoto (The Kid), de 1921, é o primeiro longa metragem de Charles Chaplin.



Série United Artists

Na United Artists, empresa cinematográfica criada por ele, em 1919, juntamente com Douglas Fairbanks, Mary Pickford e D. W. Grifftih, produziu Casamento de Luxo (A Woman of Paris), de 1923 e Em Busca do Ouro (The Gold Rush), de 1925. Lançou O Circo (The Circus), em 1928, Luzes da Cidade (City Lights), em 1931, Tempos Modernos (Modern Times), em 1936, O Grande Ditador (The Great Dictator), em 1940, Monsieur Verdoux (Monsieur Verdoux), em 1947, Luzes da Ribalta (Limelight), em 1952.


Uma Mulher de Paris
(A Woman of Paris)


Produção: Charles Chaplin, Jerome Epstein | Direção: Charles Chaplin | Roteiro: Charles Chaplin | Fotografia: Roland Totheroh | Direção de Arte: Arthur Stibolt | Música: Charles Chaplin | Montagem: Monta Bell | Intérpretes Principais: Edna Purviance - Marie St. Clair; Clarence Geldart - padastro de Marie; Carl Miller - Jean Millet; Lydia Knott - mãe de Jean; Charles K. French - pai de Jean; Adolphe Menjou - Pierre Revel; Betty Morrissey - Fifi; Malvina Polo - Paulette; Charles Chaplin - Carregador na estação de trem | Duração: 78 minutos, preto e branco | Estreia nos EUA: Outubro de 1923



 Em Busca do Ouro
(The Gold Rush)


Produção: Charles Chaplin | Direção: Charles Chaplin | Fotografia: Roland Totheroh | Direção de Arte: Charles D. Hall | Música: Charles Chaplin | Montagem: Charles Chaplin | Intérpretes Principais: Charles Chaplin - garimpeiro solitário; Mack Swain - Big Jim MKay; Georgia Hale - Georgia; Tom Murray - Black Larsen; Henry Bergman - Hank Curtis; Malcom Waite - Jack Cameron | Duração: 69 minutos, preto e branco | Estreia nos EUA: Junho de 1925 



O Circo
(The Circus)


Produção: Charles Chaplin | Direção: Charles Chaplin | Roteiro: Charles Chaplin | Fotografia: Roland Totheroh | Direção de Arte: Charles D. Hall | Música: Charles Chaplin (1969) | Montagem: Charles Chaplin | Intérpretes Principais: Charles Chaplin - vagabundo; Al Ernest Garcia - proprietário do circo; Merna Kennedy - amazona; Harry Crocker - Rex, o equilibrista; George Davis - mágico; Henry Bergman - velho palhaço; Steve Murph - batedor de carteiras | Duração: 69 minutos, preto e branco | Estreia nos EUA: Janeiro de 1928



Luzes da Cidade
(City Lights)



Produção: Charles Chaplin | Direção: Charles Chaplin | Roteiro: Charles Chaplin | Fotografia: Gordon Pollock, Roland Totheroh | Direção de Arte: Charles D. Hall | Música: Charles Chaplin | Montagem: Charles Chaplin, Willard Nico | Intérpretes Principais: Charles Chaplin - vagabundo; Virginia Cherrill - florista cega; Harry Myers - milionário excêntrico; Hank Mann - pugilista; Al Ernest Garcia - mordomo; Henry Bergman - prefeito e vizinho da florista | Duração: 83 minutos, preto e branco | Estreia nos EUA: Março de 1931

Premiações: Prêmio do National Board of Review, na categoria "Top Ten Films"


Tempos Modernos
(Modern Times)


Produção: Charles Chaplin | Direção de Produção: Alfred Reeves | Direção: Charles Chaplin | Roteiro: Charles Chaplin | Fotografia: Ira H. Morgan, Roland Totheroh | Direção de Arte: Charles D. Hall, J. Russell Spencer | Música: Charles Chaplin | Montagem: Charles Chaplin, Willard Nico | Intérpretes Principais: Charles Chaplin - operário; Paulette Goddard - jovem pobre; Henry Bergman - proprietário do café; Chester Conlkin - mecânico; Stanley Blystone - pai da jovem pobre; Al Ernest Garcia - presidente da Electro Steel Corp.; Richard Alexander - colega de cela; Cecil Reynolds - pastor; Murdock MacQuarrie - J. Widdecombe Billows; Edward LeSaint - xerife Couler; Fred Malatesta - garçom; Wilfred Lucas - jovem oficial | Duração: 83 minutos, preto e branco | Estreia nos EUA: Fevereiro de 1936

Premiações: Prêmio Jussi de Melhor Diretor Estrangeiro | Prêmio do National Board of Review na categoria "Top Ten Films"


O Grande Ditador
(The Great Dictator)


Produção: Charles Chaplin, Carter DeHaven (produtor associado) | Direção: Charles Chaplin | Roteiro: Charles Chaplin | Fotografia: Karl Struss, Roland Totheroh | Direção de arte: J. Russell Spencer | Música: Charles Chaplin, Merdetith Wilson | Montagem: Willard Nico, Harold Rice | Intérpretes principais: Charles Chaplin - Adenoid Hynkel/ um barbeiro judeu; Paulette Goddard - Hannah; Jack Oakie - Benzino Napaloni, ditador de Bactéria; Reginald Gardiner - Comandante Schultz; Henry Daniell - Garbitsch; Billy Gilbert - Marechal Herring; Maurice Moscovitch - Sr. Jaeckel; Emma Dunn - Sra. Jaeckel; Bernard Gorcey - Sr. Mann - Paul Weigel - Sr. Agar; Grace Hayle - Madame Napaloni; Carter DeHaven - Spook (embaixador bacteriano); Chester Conklin - cliente do barbeiro. | Duração: 12 minutos, preto e branco | Estreia nos EUA: Outubro de 1940

Premiações: Indicação ao Oscar de Melhor Filme, Ator (Charles Chaplin), Roteiro Original, Ator Coadjuvante (Jack Oakie) e Trilha Sonora | Melhor Ator do Círculo de Críticos de Cinema de Nova York | Prêmio Kinema Jumpo de Melhor Filme Estrangeiro | Prêmio Jussi de Melhor Diretor Estrangeiro


Monsieur Verdoux
(Monsieur Verdoux)


Produção: Charles Chaplin | Direção: Charles Chaplin | Roteiro: charles Chaplin, baseado em uma ideia de Orson Welles | Fotografia: Roland Totheroh, Curt Courant | Direção de Arte: John Beckman | Música: Charles Chaplin | Montagem: Willard Nico | Intérpretes Principais: Charles Chaplin - Henri Verdoux, aliás Varnay, aliás Bonheur, aliás Floray; Mady Correll - Mona Verdoux, esposa de Henri; Allison Roddan - Peter, filho de Mona e Henri; Robert Lewis - Maurice Bottello, amigo de Verdoux; Audrey Betz - Martha, esposa de Maurice; Martha Raye - Annabella Bonheur; Ada Maio - Annette, a empregada de Annabella; Isobel Elsom - Marie Grosnay; Marjorie Bennett - empregada de Marie; Helene Heigh - Yvonne, amiga de Marie; Margaret Hoffman - Lydia Floray; Marilyn Nash - a garota; Irving Bacon - Pierre Couvais; Edwin Mills - Jean Couvais; Virginia Brissac - Carlotta Couvais | Duração: 119 minutos, preto e branco | Estreia nos EUA: Abril de 1947

Premiações: Indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Original | Blue Ribbon Award de Melhor Filme Estrangeiro | Prêmio Bodil de Melhor Filme Americano | Prêmio Jussi de Melhor Filme Estrangeiro | Prêmio do National Board of Review na categoria "Top Ten Films" | Prêmio Kinema Jumpo de Melhor Filme Estrangeiro


Luzes da Ribata
(Limelight)


Produção: Charles Chaplin | Direção: Charles Chaplin | Roteiro: Charles Chaplin | Fotografia: Karl Struss | Direção de Arte: Eugène Lourié | Música: Charles Chaplin | Montagem: Joe Inge | Intérpretes Principais: Charles Chaplin - Calvero; Claire Bloom - Thereza; Nigel Bruce - Postant, o empresário; Buster Keaton - velho amigo de Calvero; Sydeny Chaplin - Neville; Edna Purviance - Sra. Parker; Leornard Mudie - Dr. Blake; Norman Lloyd - Bodalink; Geraldine Chaplin - garotinha na cena de abertura; Jesephine Chaplin - garotinha na cena de abertura; Charles Chaplin Jr. - palhaço; Michael Chaplin - criança na cena de abertura; André Eglevsky - dançarino; Melissa Hayden - dançarina; Wheeler Dryden - médico de Thereza; Barry Bernard - John Redfern; Stapleton Kent - Claudio; Mollie Glessing - empregada; Loyal Underwood - músico de rua; Julian Ludwig - músico de rua; Cyril Delevanti - Griffin, o palhaço | Duração: 131 minutos, preto e branco | Estreia no Reino Unido: Outubro de 1952

Attica/Archway


Expulso dos Estados Unidos, pelo macartismo, logo após o lançamento de Luzes da Ribalta, Chaplin exila-se na Europa, de volta ao seu continente de origem. Após cinco anos, lança Um Rei em Nova York (A King in New York), pela Attica Film Company, em 1957.


Um Rei em Nova York
(A King in New York)


Produção: Charles Chaplin, Jeremo Epstein | Direção: Charles Chaplin | Roteiro: Charles Chaplin Fotografia: Geroges Périnal | Direção de Arte: Allan Harris | Música: Charles Chaplin | Montagem: John Seabourne Sr. | Figurino: John Wilson-Apperson | Intérpretes Principais: Charles Chaplin - rei Shahdov, Maxine Audley - rainha Irene, Jerry Desmonde - primeiro-ministro Voudel, Oliver Johnston - embaixador Jaume, Dawn Addams - Ann Kay, especialista em TV, Sid James - Johnson, anunciante na TV, Joan Ingram - Mona Cromwell, recepcionista, Michael Chaplin - Rupert Macabee, John McLaren - Macabee (mais velho), Phil Brown - diretor da escola, Harry Green - advogado, Alan Gifford - superintendente da escola, Robert Cawdron - marechal dos EUA | Duração: 100 minutos, preto e branco | Estreia no Reino Unido: Setembro de 1957


Universal

O seu último filme, no qual tem como protagonistas Sophia Loren e Marlon Brando, em que Chaplin aparece em cena apenas por alguns segundos, foi lançado depois de um longo intervalo de uma década, desde Um Rei em Nova York. A Condessa de Hong Kong (A Countess from Hong Kong), teve sua primeira exibição nos cinemas em 1967.

A Condessa de Hong Kong
(A Countess from Hong Kong)


Produção: Jerome Epstein | Direção: Charles Chaplin | Roteiro: Charles Chaplin | Fotografia: Arthur Ibbetson | Direção de Arte: Robert Cartwright | Música: Charles Chaplin | Montagem: Gordon Hales | Figurinos: Rosemary Burrows | Intérpretes Principais: Marlon Brando - Ogden Mears, Sophia Loren - Natascha, Sydney Chaplin - Harvey, Tippi Hedren - Martha, Patrick Cargill - Hudson, Michael Medwin - John Felix, Oliver Johnston - Clark, John Paul - capitão, Margaret Rutherford - Srta. Gaulswallow, Peter Bartlett - Steward, Bill Nagy - Crawford, Angela Pringle - baronesa, Jenny Bridges - condessa, Arthur Gross - oficial da imigração, Geraldine Chaplin - garota do salão de dança, Angela Scoular - garota da sociedade, Charles Chaplin - camareiro | Duração: 108 minutos, cor | Estreia no Reino Unido: Janeiro de 1967

Fonte: BEZERRA, Hallyson Alves. Luzes das cidades chaplinianas: as recepções das urbs representadas na obra de Charles Chaplin (1914-1918). 2018. Dissertação. (Mestrado em História) - Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Campina Grande.

Postagens mais visitadas deste blog

Era Charles Chaplin ateu?

O caso do roubo do túmulo de Chaplin (1978)

A questão de gênero no filme Tempos Modernos (Chaplin, 1936)